A Mágica da Arrumação - INDICAÇÃO


resenha livro a magica da arrumação marie kondo

A japonesa Marie Kondo ganha a vida como organizadora profissional, é autora de vários livros campeões de vendas ao redor do mundo, e desenvolveu um método de arrumação, chamado KonMari. Marie Kondo descobriu ainda criança que levava jeito para organizar qualquer ambiente ao seu redor, e em A mágica da arrumação, compartilha os princípios simples e radicais de seu método de organização, e garante que, se for seguido à risca, é certeiro e eterno! Uau, viu?!
A mágica da arrumação é um livrinho fácil de ler, tem 158 páginas e foi publicado no Brasil pela Editora Sextante.
É dividido em  5 capítulos:
1. Por que não consigo manter minha casa organizada
2. Em primeiro lugar, descarte
3. Como organizar por categoria
4. Arrumando suas coisas para ter uma vida sensacional
5. A mágica da organização transforma sua vida
O Método KonMari, de maneira resumida, podemos dizer que consiste em jogar fora tudo o que não lhe traz alegria. Depois, organizar toda a sua casa, de uma só vez.
O princípio básico do Método KonMari é o descarte. Organização, para Marie Kondo, não se restringe a colocar as coisas em caixinhas, etiquetando-as. Assim, você apenas tira a bagunça do alcance dos olhos, o que não faz com que ela deixe de existir. O jeito ideal de se livrar da bagunça definitivamente é descartar o maior número de coisas que pudermos. O critério de escolha do descarte deve ser a felicidade que o objeto nos traz. Marie diz que devemos segurar cada peça com as mãos, sentir o objeto e perceber se ele nos traz ou não alegria. Depois, os objetos que sobraram devem ser arrumados de uma só vez, no menor tempo possível, como se o processo de arorganização fosse uma maratona.
Segundo a autora, se você organizar um pouco por dia, nunca terá a casa arrumada.
Eu, em minha humilde opinião, não concordo. Cada pessoa  tem uma rotina e realidade diferentes. Com a vida que eu levo, por exemplo, é inviável utilizar um dia inteiro para destralhar e organizar a casa. Então, tenho feito o descarte e organização aos poucos, mas daqui a pouco falaremos mais sobre isso.
Mari Kondo orienta que separemos as coisas por categoria, não por localização. Por exemplo: se você for organizar as roupas, dê um giro pela casa e colete todas as peças de roupa que encontrar, ainda que estejam na lavanderia, sala ou quarto. Aí sim você está pronto para começar a decidir o que vai embora e o que fica. Por sinal, na hora do descarte, a forma ideal é focar em uma categoria por vez. A melhor sequência é roupas (e dentro da categoria roupas, dividir a separação entre blusas, partes de baixo, roupas de pendurar, meias, roupas íntimas, bolsas, acessórios, roupas para ocasiões específicas, sapatos), livros, papelada, itens variados e itens de apego emocional. Marie diz que é ideal deixar as coisas de valor sentimental para o final, pois elas serão as mais difíceis de descartar, e se as pegarmos logo no início da arrumação da casa, o processo possivelmente vai emperrar.
Quando estiver descartando e organizando seus objetos, não deixe a família ver. Afinal, sempre haverá alguém para pegar suas tralhas. E outra coisa: nada de “obrigar” outras pessoas a ficarem com as coisas que você não quer mais. É ok doar seus objetos para quem precisa. Mas primeiro descubra se realmente a pessoa precisa daquilo, ou caso contrário, você apenas estará mudando as tranqueiras de lugar.
Um ponto que Marie Kondo aborda em seu livro e que tem tudo a ver comigo é a questão das “roupas de usar em casa”. Eu frequentemente acabo não doando ou jogando roupa nenhuma fora com a desculpa de que posso usar a peça em casa. Mas Marie diz que em casa não deveríamos ficar com as piores roupas ou com as que não gostamos. E, tendo em vista que nossa casa é o lugar mais importante do mundo, isso faz todo o sentido, não faz?
Em A mágica da arrumação, Marie dá também algumas dicas sobre como guardar as roupas do jeito certo, otimizando espaço. Na maioria das peças, é melhor dobrar que pendurar. E por falar em dobrar, no livro ela dá umas dicas legais sobre como dobrar cada peça.
Não vou esgotar aqui todos os assuntos que a Marie aborda, mas terminada a leitura do livro, eu posso dizer o seguinte: o método KonMari é tão simples e óbvio, que é por isso que faz todo o sentido (pelo menos para mim). Não concordo com tudo o que A mágica da arrumação defende, mas extraí bastante coisa boa desse livrinho, e ele tem tudo a ver com a minha fase de vida atual. Eu já dei umas pinceladas sobre o tema “consumismo” aqui, e o que Marie afirma é que quando destralhamos nossa casa e nossa vida, tudo muda para melhor. E eu concordo. Depois que comecei a ler A mágica da arrumação, tive um “surto”: em menos de 4 horas, joguei fora 8 sacolas cheias de coisas inúteis que eu guardava pela casa. Estou digitalizando toda a papelada sem sentido que eu guardava em pastas e mais pastas. Joguei fora cadernos velhos. Doei roupas que eu não queria mais usar. Foram para o lixo as caixas inúteis que entupiam meu guarda-roupa. Descobri que eu tinha toneladas de coisas que guardava sem nem saber por que.
Marie Kondo, a meu ver, é muito radical quando diz que devemos terminar a arrumação de uma vez só. Tenho feito aos poucos, devagar e sempre, e tem dado certo. Venho gastando menos tempo e energia limpando e arrumando a casa, pois esse processo ficou simplificado por conta da diminuição de tranqueiras espalhadas. E só por isso o livrinho já valeu.
Pensar que em nossa casa devemos manter apenas as coisas que nos dão alegria é algo tão óbvio, não é? E basicamente, é isso o que A mágica da arrumação nos mostra. Mas, como nem sempre fazer isso por conta própria é fácil, se você quer trazer mais ordem ao ambiente em que vive e à sua vida inteira, recomendo muito a leitura!

[Créditos da Resenha: AO Blog "Dias de Sol"]

Lívia De La Rosa

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Obrigado por entrar em contato conosco. Esperamos que tenha momentos agradáveis tomando esse Chá Conosco. Em breve responderemos.